FLUMANIA - A Hist ria do Fluminense - Capítulo IV - Ídolos

Tim


Tim, jogador e treinador

Elba de Pádua Lima, o Tim, foi um dos maiores dribladores do futebol brasileiro. Seu característico corte seco para os dois lados deixava os adversários sem ação mesmo num pequeno espaço, sua colocação em campo o transformava num terrível abridor de defesas, seus passes desnorteavam os zagueiros e sua presença diante do gol fazia dele um goleador implacável. Era um craque completo.

Magro, parecia ter peito de veludo tal a maciez com que aparava a bola.

Paulista de Ribeirão Preto, nasceu no Distrito de Rifaina em fevereiro de 1916. Aos 12 anos jogava no infantil do Botafogo local e três anos depois já estava no time principal, desbancando o antigo ídolo, o meia-esquerda Piquitote. Em 1934 foi para a Portuguesa Santista por 500 000 réis mensais e, mesmo jogando num clube modesto, mostrou futebol suficiente para chegar à Seleção Paulista. Foi campeão brasileiro em 1935 e chegou à Seleção Brasileira no ano seguinte, consagrando-se no Sul-Americano de Buenos Aires como "El Peón" - apelido que ganhou da imprensa argentina por conduzir o time "como um peão conduz a manada".

A Argentina foi campeã, mas Tim voltou com a fama redobrada. Retornou para o Botafogo de Ribeirão Preto e quatro meses depois veio para o Fluminense por 20 contos de luvas e 1 conto de réis por mês.

Começava a consagração definitiva: o Fluminense tinha uma verdadeira Seleção: Batatais, Moisés, Machado, Santamaria, Brant, Orozimbo, Orlandinho, Romeu, Russo e Hércules.

Com eles, Tim acabou tricampeão carioca de 1936, 37 e 38, e foi para a Copa do Mundo, na França, quando a fraqueza do técnico Ademar Pimenta o deixou na reserva pois a ala esquerda preferida dos cartolas (botafoguenses na sua maioria) era formada por Perácio e Patesko.

Na volta, Tim viveu o apogeu de sua carreira, ganhando o bicampeonato de 1940 e 41 e sendo um dos heróis do famoso Fla-Flu decisivo de 1941, inesquecível devido às bolas que os atletas tricolores chutaram para a Lagoa Rodrigo de Freitas, para garantir o empate de 2 x 2 que lhes daria o título.

Tim foi ainda ao Sul-Americano de 1942 e dois anos depois, já beirando os 30, deixou sua vaga na Seleção para Jair da Rosa Pinto. Jogou em 1944 no São Paulo e no ano seguinte novamente no Botafogo. Do Olaria carioca foi-se juntar a argentinos famosos, como Di Stefano, Pedernera, Baez e Rossi no Eldorado colombiano em 1950.

Em 1951, iniciou sua vitoriosa carreira de treinador no Bangu, onde foi posteriormente campeão em 1966, tendo depois treinado o Flu, campeão de 1964, Vasco,campeão de 1970, Flamengo, Coritiba, Botafogo, San Lorenzo da Argentina, São José (SP) e Internacional de Limeira (SP). Como treinador, foi um dos maiores estrategistas do futebol brasileiro.

Participou de 226 jogos tendo marcado 71 gols.

Faleceu em 07 de julho de 1984.

Obs. As informações sobre o jogador e fotos foram retiradas do acervo do FFC.


Volta aos nossos ídolos inesquecíveis

Volta a HP inicial da História do Flu



    
   
HISTÓRIA   |   VÍDEOS   |   ÁUDIOS  |   ESTATÍSTICAS  |   FALE CONOSCO
Desde 2002 Copyright FLUMANIA.com.br
O conte do deste site de propriedade intelectual do "Flumania Online" e fica expressamente proibida a utiliza o de qualquer material nele contido por parte de outros sites sem pr via autoriza o de nossa equipe..