FLUMANIA - A Hist ria do Fluminense - Capítulo V - Outras taças

A Taça Olímpica ( Coupe Olympique ) - 1949

Muitos torcedores já ouviram falar, mas não tem conhecimento como aconteceu essa grande conquista do Fluminense Football Club. Como foi conseguida, em que esporte, de que forma e porque foi concedida ao tricolor.

Apesar de não estar ligada diretamente ao futebol profissional, a conquista possui grande importância não só no cenário Nacional, mas também, no Internacional e por este motivo merece local de destaque em nossa história.

A Taça Olímpica é o mais alto e cobiçado troféu do desporto mundial. Também chamada de Taça de Honra, tem como finalidade reconhecer anualmente, aquele que, no juízo do Comitê Olímpico Internacional ( COI ), mais mais fez em prol do olimpismo e do esporte.

Este reconhecimento é, na realidade, o Prêmio Nobel dos Esportes.

A concessão do título é feita pelo COI após rigoroso e detalhado exame dos dossiers apresentados pelos clubes candidatos.

Para receber a honraria, o clube deve ser exemplo de organização administrativa e um vitorioso nos setores esportivos, sociais, artísticos e cívicos. Um complexo de perfeição durante um ano inteiro, e escolhido como o melhor dentre as demais instituições do mundo.

A Taça Olímpica ( Coupe Olympique ) foi instituída em 1906 por Pierre Frédy, barão de Coubertin, o criador dos Jogos Olímpicos da era moderna.


O Barão Pierre de Coubertin ( foto da década de 30 )

O Barão Pierre de Coubertin, figura de realce no olimpismo mundial, visou, ao instituí-la, eternizar, os nomes de clubes, entidades nacionais e personalidades que se destacassem pela sua dedicação, trabalho e excepcional atuação em prol do esporte olímpico, tendo o Comitê Olímpico Internacional recebido a incumbência de escolher, a cada ano, o agraciado com essa honraria que foi atribuída pela primeira vez, em 1906, ao Touring Club de França.

Em 1919, a CBD - Confederação Brasileira de Desportos - empenhou-se numa campanha para sediar o 3o Campeonato Sul Americano de Futebol, que seria o primeiro evento internacional desse esporte a ser realizado no Brasil, enfrentando, porém, o grande problema de não contar o país com um estádio onde os jogos pudessem ser realizados e o Fluminense, atendendo ao apelo dos dirigentes da CBD, assumiu o desafio e a responsabilidade de construir o Estádio das Laranjeiras, inaugurando-o na data prevista para o início do campeonato e dando condições para ali serem realizados todos os jogos, que culminaram com a brilhante vitória final da equipe brasileira.

Pouco depois desse empreendimento bem sucedido, foi o Fluminense novamente procurado pelos dirigentes das entidades esportivas nacionais que pretendiam promover, em 1922, os Jogos Olímpicos Latino-Americanos, em comemoração ao primeiro centenário da nossa Independência, não tendo, porém, um local apropriado para a sua realização. O Fluminense, mais uma vez, assumiu a incumbência de resolver o problema e ampliou o Estádio das Laranjeiras, onde, com grande sucesso e repercussão internacional, foram realizados os Jogos Olímpicos Latino-Americanos de 1922, na gestão do presidente Arnaldo Guinle, hoje patrono do clube.

Esses fatos, aliados à beleza e funcionalidade das suas instalações e ao magnífico desempenho dos seus atletas nas diversas modalidades esportivas, levaram os dirigentes do Fluminense a enviar, já em 1924, farta documentação ao C.O.I., então reunido em Paris, lançando a candidatura do nosso clube à conquista da Taça Olímpica. Essa primeira candidatura, apesar de ter recebido o apoio do Barão de Coubertin e do Conde de Baillet-Latour, respectivamente Presidente e Vice-Presidente do Comitê Olímpico, não foi vitoriosa e o sonho teve que ser adiado.

O Comitê ainda estava reunido em Paris, quando o Ministro Paulo do Rio Branco, representante do Brasil na reunião, comunicou a candidatura do Fluminense à obtenção da Taça no período 1926/1927, em reconhecimento à excelente organização dos jogos de 1922.

Em 1936, novamente o FLUMINENSE voltou a pleitear o laurel e novo "dossiê" foi enviado ao C.O.I., que dessa vez reunir-se-ia em Berlim, por ocasião da realização da XI Olimpíada. Fatos políticos que naquele momento fervilhavam na Alemanha determinaram a escolha de uma entidade aliada política da Alemanha, frustrando, mais uma vez, as nossas legítimas pretensões.

Em razão do conflito mundial que se seguiu e do conseqüente isolamento do continente europeu, somente em 1948, após ter a paz voltado a dominar o Velho Mundo, tornou o Fluminense a perseguir o seu objetivo de conquista da Taça Olímpica, sendo solicitada nova inscrição, desta vez por ocasião da realização dos Jogos Olímpicos de Londres. Competíamos, então, com uma instituição inglesa e o nosso delegado, Dr. J. Ferreira dos Santos, num gesto diplomático de fidalguia e rara felicidade, retirou a candidatura do tricolor para que, por unanimidade, fosse concedido o laurel aos anfitriões dos países disputantes da Olimpíada, reiterando, porém a manutenção dessa candidatura para o ano seguinte - 1949, o que granjeou a simpatia de todos para com o nosso clube.

Reunido em Roma, nas instalações do Hotel Excelsior, na semana de 24 a 29 de abril de 1949, sessão do dia 25, o Comitê Olímpico Internacional decidiu por unanimidade atribuir ao Fluminense Football Club a Taça Olímpica daquele ano. Acabava uma espera de 25 anos. Era presidente do COI o Sr. J. Sigfrid Edstrom e chanceler da entidade o Sr. Otto Mayer .

A importante decisão foi publicada no - Bulletin Du Comité International Olympique nº 15 - de 15 de maio de 1949, documento oficial da entidade, no - Extrat Du Procés-Verbal da sessão do dia 25 de abril, item 17, página número 22.



Bulletin Du Comité International Olympique nº 15



Página 1 do Boletim do COI

A página nº 22 da publicação



O item 17 da página 22 outorga a Taça Olímpica ao Fluminense


Finalmente, a 28 de abril de 1949 chegava ao Rio de Janeiro a notícia da decisão tomada pelo Comitê Olímpico Internacional: o Fluminense Football Club conquistara a Taça Olímpica de 1949, dando ao Brasil a sua mais consagradora vitória nos desportos mundiais até aquela data.

Dois tricolores podem ser considerados os principais artifíces dessa grande conquista: Afonso de Castro, que preparou o dossier e J. Ferreira dos Santos, que nos representou no COI.

O COI, por intermédio de seu chanceller , Otto Mayer, dirigiu ao Fluminense a seguinte comunicação:

"Lausanne, le 6 mai, 1949.
Fluminense Football Club.
Rio de Janeiro.
Monsieur le Président et Meissieurs.

Ainsi que nous vous l'avons comuniqué télégraphiquemente, nous avons l'honneur de vous faire savoir que lors de sa session de Rome de Comité Olympique Internationel à l'unanimité a attribué à votre club la coupe olympique pour 1949.

Nos vous adressons nos chaleureuses félicitations pour l'hommage que les membres do C.I.O. vous ont envoyé et saisissons cette occasion pour formuler nos voeux les meilleurs à votre association et aux sports dans votre pays.

Par ce même courrier, nous vous adressons:

1. photo de la coupe,
2. le diplôme qui vous est destiné,
3. une grande plaquette reproduisant la coupe,
4. une petite plaquette reproduisant la coupe.

Veuilleuz croire, Monsieur le Président et Meissieurs, à l'expression de nos sentiments distingué.

Otto Mayer, chanceller.

Copie aux membres du C.I.O. pour le Brésil.

P.S. - Pour votre governe, nous vous informons que la coupe original reste en permanence dans le musée olympique de Lausanne."

No - Bulletin Du Comité International Olympique nº 18 - de 15 de novembro de 1949, páginas 1 e 11 foram publicadas fotos do jantar comemorativo da conquista, realizado no salão nobre do clube. Discursou como representante do COI o Dr. J. Ferreira Santos e pelo Fluminense o presidente Fábio Carneiro de Mendonça.



Bulletin Du Comité International Olympique nº 18


Foto do jantar comemorativo (pág. 1 )

O Salão Nobre lotado (pág. 11)

 

O material recebido do COI pelo clube e que se encontra na vitrine olímpica em nossa sala de troféus.


O diploma do COI que outorga a Taça Olímpica ao Fluminense Football Club



A placa com a reprodução da Taça



A placa com as inscrições



Foto da vitrine olímpica em nossa sala de troféus

Alguns anos após, na década de 50, resolveu o Comitê Olímpico Internacional não mais conferir a Taça Olímpica a clubes e personalidades, passando a fazê-lo apenas a entidades nacionais, e não mais anualmente, escolhendo ocasiões especiais nas quais julgasse haver méritos para tal. O Fluminense foi o último clube agraciado.

O Museu, onde a taça original se encontra em exposição permanente, foi construído as margens do lago Genebra pelos arquitetos Pedro Ramirez Vazquez e Jean Pierre Cohen.


O parque Olímpico em Lausanne - Suiça



Painel do Museu Olímpico



A entrada do Museu Olímpico

Ao entrarmos no museu, em local de destaque, encontra-se a Taça Olímpica. É protegida por redoma de vidro a prova de balas, possuindo ainda sofisticado sistema de alarme contra roubo.

Forjada em prata, ouro e cristais foi desenhada por Charles Massin. A parte principal e mais valiosa fica apoiada sobre uma base hexagonal em madeira. Em cada face do hexágono existe uma placa metálica onde constam os nomes das instituições que já foram merecedoras e agraciadas com a honraria. A base repousa ainda sobre um pedestal de mármore que possui a descrição da Taça e data de sua criação.


A maravilhosa Taça Olímpica


Detalhes da Taça I

Detalhes da Taça II


Detalhes da Taça III


Detalhes da Taça IV



As inscrições no pedestal da Taça


Mais detalhes da Taça


O Fluminense tem seu nome inscrito na Taça na sexta linha de cima para baixo


O Fluminense é o único clube da América Latina a ter seu nome na Taça Olímpica até hoje. Daí o imenso orgulho de todo tricolor, saber que a força de nosso clube não está apenas no fervor de sua grande torcida, mas sim atravessando fronteiras e sendo reconhecido com respeito e admiração pelo mundo inteiro.

O FLUMINENSE É O ÚNICO CLUBE DE FUTEBOL DO MUNDO DETENTOR DA TAÇA OLÍMPICA

Os agraciados com a Taça Olímpica

1906 - Touring Club de France
1907 - Henley Royal Regatta
1908 - Sveriges Centralförening för Idrottens Främjande
1909 - Deutsche Turnerschaft
1910 - Ceska obec Sokolska
1911 - Touring Club Italiano
1912 - Union des Sociétés de Gymnastique de France
1913 - Magyar Athletikai Club
1914 - Amateur Athletic Union of America
1915 - Rugby School, England
1916 - Confrérie Saint-Michel de Gand
1917 - Nederlandsche Voetbal Bond
1918 - Equipes Sportives du Front Interallié
1919 - Institut Olympique de Lausanne
1920 - Y.M.C.A. International College, Springfield
1921 - Dansk Idraets Forbund
1922 - Amateur Athletic Union of Canada
1923 - Asociation Sportiva de Cataluna
1924 - Fédération Gymnique et Athlétique Finlandaise
1925 - Comité National d`Education Physique de l`Uruguay
1926 - Norges Skiforbund
1927 - Colonel Robert M. Thomson
1928 - Junta Nacional Mexicana
1929 - Y.M.C.A. World`s Committee
1930 - Association Suisse de Football et d`Athlétisme
1931 - National Playing Fields Association, Great Britain
1932 - Deutsche Hochschule für Leibesübungen
1933 - Sociéte Fédérale Suisse de Gymnastique
1934 - Opera Dopolavoro Romea
1935 - National Recreation Association of U.S.A.
1936 - Segas: Union des Sociétés Helléniques de Gymnastique et d`Athlétisme, Athénes
1937 - Oesterreichischer Eislauf Verband
1938 - Königl. Akademie für Körpererziehung in Ungarn
1939 - Kraft durch Freude
1940 - Svenska Gymnastik - och Idrottsföreningarnas Riksförbund
1941 - Comité Olympique Finlandais
1942 - William May Garland, Los Angeles
1943 - Comite Olimpico Argentino
1944 - Ville de Lausanne
1945 - Norges Fri Idrettsforbund, Oslo
1946 - Comite Olimpico Colombiano
1947 - J. Sigfrid Edström, Stockholm, President of the IOC
1948 - The Central Council of Physical Recreation, Great Britain
1949 - Fluminense Football-Club, Rio de Janeiro
1950 - Comité Olympique Belge
1950 - New Zealand Olympic and British Empire Games Association
1951 - Académie des Sports, Paris
1952 - City of Oslo
1953 - City of Helsinki
1954 - Ecole Féderale de Gymnastique et de Sports, Macolin, Switzerland
1955 - Organizing Committee VIIth Centroamerican and Caribbean Games, Mexico
1955 - Organizing Committee IInd Panamerican Games, Mexico
1956 - No award
1957 - Federazione Sport Silenziosi d`Italia, Milano
1958 - No award
1959 - Panathlon Italiano, Genua
1960 - Centro Universitario Sportivo Italiano
1961 - Helms Hall Foundation, Los Angeles
1962 - Comite Organizador de los Juegos Deportivos Bolivarianos, Barranquilla, Kolumbia
1963 - Australian British Empire an Commonwealth Games Association
1964 - Southern Californian Committee for the Olympic Games, Los Angeles
1965 - City of Tokyo
1966 - Comité International des Sports Silencieux, Liège
1967 - Juegos Deportivos Bolivarianos
1968 - The inhabitants from Mexico-City
1969 - Comité Olympique Polonais
1970 - Organizing Committee of the Asian Games in Bangkok
1971 - Comité Organisateur des Jeux Panaméricains de Cali, Kolumbia
1972 - Comité Olympique Turc
1972 - The City of Sapporo
1973 - The inhabitants from Munich, Germany
1974 - Comité Olympique Bulgare
1975 - Comitato Olimpico Nazionale Italiano
1976 - Czechoslovakian Physical Culture and Sports Federation
1977 - Comité Olympique Cote-d´lvoire
1978 - Comité Olympique Hellénique
1979 - Organiging Commitee of the 1978 World Rowing Championships in New Zealand
1980 - Ginásio Clube Portugues
1981 - Conféderation Suisse, International Olympic Academy, Olympia
1982 - Racing Club de France
1983 - Comité Olympique de Puerto Rico
1984 - Organizing Commitee from the athletics world`s championship in Helsinki
1985 - Chinese Olympic Committee
1986 - City of Stuttgart, Germany
1987 - l´Equipe, Paris
1988 - People from Australia
1989 - City of Seoul
1989 - Gazzetta dello Sport
1990 - Club Athlétique Panhellinios à Athènes
1991 - The Japanese Olympic Committee
1992 - Department de la Savoie, Région Rhone-Alpes
1992 - City of Barcelona, Spain
1993 - Comité Olympique Monégasque
1994 - Comité National Olympique et Sportif Francais
1994 - People from Norway
1995 - Korean Olympic Committee
1996 - City of Baden-Baden, Germany
1997 - No award
1998 - The inhabitants from Nagano, Japan


Em maio de 2009, comemorou-se os 60 anos do recebimento da Ta a Ol mpica

Em maio de 2009, a diretoria do Fluminense promoveu um jantar comemorativo da conquista da Ta a Ol mpica. Realizado no sal o nobre do clube, o evento contou com a participa ao de v rias autoridades, ex-presidentes e ex-atletas agraciados com medalhas em olimp adas.

Ainda como parte das comemora es, sem muito alarde e divulga o, o departamento de marketing do clube lan ou um kit que marcou a passagem da data comemorativa. Era composto por:

- camisa comemorativa
- revista explicativa de como ocorreu a conquista
- pin
- medalha e
- placa

Todos os componentes acondicionados numa bela caixa de madeira.



A bela caixa em madeira que acondiciona o kit completo



A caixa aberta mostra seus componentes



O pin comemorativo



A medalha comemorativa dos 60 anos da conquista



A placa comemorativa em detalhe



A revista explicativa da conquista



A camisa comemorativa



Detalhes da camisa I



Detalhes da camisa II



Detalhes da camisa III


Em junho de 2009, foi lan ada a nova linha de uniformes do Fluminense

Como novidade e pela primeira vez, ainda como evento comemorativo dos 60 anos do recebimento da Ta a, era estampada em nossos uniformes de jogo a bela honraria. Na cor dourada a Ta a foi colocada no lado direito do peito de todos os uniformes de jogo, incluindo o de goleiro.


A Ta a Ol mpica em nossa camisa tricolor



A Ta a Ol mpica em nossa camisa branca



A Ta a Ol mpica em nossa camisa de goleiro laranja


Observações: As inéditas fotos da Taça original foram tiradas pelo tricolor André Sá em abril de 2007 no Museu Olímpico e cedidas gentilmente ao Flumania. Ao amigo André, nossos agradecimentos.

As fotos do kit comemorativo dos 60 anos do recebimento da conquista da Ta a Ol mpica nos foram cedidas pelo tricolor e s cio do clube Pedro Abad. Ao amigo Abad, nossos agradecimentos.

Também agradecemos a Milton Mandelblatt (Flu Memória) por cerder-nos parte da história da conquista.

As informações sobre a Taça Olímpica também foram retiradas da Revista do Fluminense, Boletins do Comitê Olímpico Internacional e do livro História do Fluminense de Paulo Coelho Netto, tomo I. As fotos do diploma, reprodução da taça e vitrine foram tiradas em nossa sala de troféus.


Volta a outras taças

Volta a HP inicial da História do Flu


    
   
HISTÓRIA   |   VÍDEOS   |   ÁUDIOS  |   ESTATÍSTICAS  |   FALE CONOSCO
Desde 2002 Copyright FLUMANIA.com.br
O conte do deste site de propriedade intelectual do "Flumania Online" e fica expressamente proibida a utiliza o de qualquer material nele contido por parte de outros sites sem pr via autoriza o de nossa equipe..